quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Receita para o Grande Amor

.

.

Ingrediantes

Um homem (ou uma mulher) bem apetitoso(a) e vivo(a);

Um paralelepípedo;

Uma caixa de cotonetes usados;

½ tonelada de brisa marinha tropical;

Uma manada de piolhos gigantes de Bornéu;

Três xícaras de advérbios em idioma no qual soem como xingamentos;

Pontos de exclamação, a gosto.

.

Preparo

Envolva o homem (ou mulher) bem apetitoso(a) e ainda vivo(a) numa conversa bem mole. Ponha-o(a) para descansar por 7 ou 13 segundos. Então encare-o(a) com dois olhos bem quentes e incisivos, de maneira que o seu olhar despenque dos olhos dele(a) para dentro. Quando o seu olhar estatelar-se no fundo do homem (ou mulher) bem apetitoso(a) e ainda vivo(a), espere três minutos e – aleluia! – polvilhe toda a brisa marinha tropical e pontos de exclamação no GRANDE AMOR que já estará brotado e vicejante. !.!.!

.

Obs.: Se o GRANDE AMOR não brotar vicejante em três minutos, não se preocupe. Isso significa apenas que o homem (ou mulher) bem apetitoso(a) e vivo(a) não estava realmente vivo(a) ou... era falso(a)! Em ambos os casos, jogue o paralelepípedo, os cotonetes usados, a manada de piolhos gigantes e os advérbios de baixo calão na cara do(a) desgraçado(a).!.!.!

E tenha melhor sorte na próxima tentativa, amiga(o)!

.

45 comentários:

Paco Bailac disse...

un saludo

Paco

María Beatriz disse...

Voy a probar la receta! Me encantó!!

Saludos

lilialvestilo disse...

Incríveis os caminhos por onde sua imaginação se desvia! Já estou seguindo. Bjs

Jenny Paulla disse...

kkkkkkkkkkk
muito bom
=]

Virgínia Allan disse...

Só Tuca para nos ensinar uma maravilhosa receita como esta. Otimo post...

Celinha H disse...

Excelente receita, Tuca. Vou experimentar hoje mesmo com um elemento que anda me desassossegando.
Por via das dúvidas, preciso saber: dá para substituir o paralelepípedo por dois tijolos maciços? Bjs

Tuca Zamagna disse...

Un saludo, verborrágico Paco!

Vai fundo, Maria Beatriz. É tiro e queda! Principalmente quando o Grande Amor não brota em três minutos.
Saludos

Obrigado, Lilian Alves. Conta muito qualquer elogio vindo de você, uma das cabeças mais inquietas e criativas da blogosfera.
ATENÇÃO, LEITORES: CLIQUEM NO NOME DELA E CONHEÇAM O BLOG DA CRIADORA DO Ateliliê, PRESTES A SER INAUGURADO!

Elaine Berti disse...

Olá, aqui estou eu "travêiz" rsrsrs. Adorei a receita rsrsrs. Quero comunicar a vocês que depois que conheci esse blog adquiri um novo vício além do que eu já tinha : O tabagismo, agora tenho também o vicio da " Desinformação Seletiva" Rsrsrsrs. Espero que o Serra não proiba esse também, porque senão ferrô! Kkkkk. Outra coisita: indiquei vocês ao selo de ouro, é apenas um mimo uma prova de amor pelo blog rsrsrs. Leiam no meu blog e saberão... Beijão a todos!!!!

Tuca Zamagna disse...

A história deste blog já se divide em antes e depois da Jenny, regente da nossa claque com sua afinadíssima gargalhada!
Obrigado, querida. E não só pelo incentivo, mas também pelo ótimo poema que você postou em homenagem a Bukowski e John Fante. (:>

Obrigado, Virgínia, amazônica escritora e amiga!

Dá pra substituir o paralelepípedo, sim, Celinha. Por dois, por dez... por um milheiro de tijolos até! Bjs

Eu já estava preocupado com a sua demora, Elaine. Faça o favor de telefonar pra avisar quando o comentário atrasar, hem!
Nossa, esse vício é mortal, pior que roleta russa! Mas não se preocupe, aqui o Serra não mete o bedelho fedorento, não. Ele sabe que se pintar, nós vamos logo lhe carimbando a careca e passando a mão na bunda.
Selo de ouro??? Ô louco, meu! Qué matar nóis do coração, mana?
Vamos correr lá.
Beijão!!!

Antonio Alves disse...

Já arranjei o paralelepípedo, a 1/2 tonelada de brisa marinha, a piolhada de Bornéu e os outros ingredientes quase todos. Só tá faltando a mulher apetitosa e viva.

Dona Maria disse...

Hahaha, que original! Vou testar!

Tuca Zamagna disse...

Dos ingredientes todos, Antonio, este é mesmo o mais difícil de achar. Ainda ontem conheci uma apetitosa aparentemente vivinha da silva. Mas, depois de meia hora de papo, descobri tratar-se de uma defunta das mais desavisadas.

Teste sim, Dona Maria. Torço pelo seu sucesso!

Shirley disse...

Caracamermão, com um olhar assim que atravessa até o aparelho digestivo, não é necessário cotonestes. Nada de erros. Agora, não custa guardar o paralelepípedo.

Tuca Zamagna disse...

São cotonetes usados, não se esqueça, Shirloca. Utilíssimos na hora de emporcalhar a cara do(a) homem(mulher) apetitoso(a) e ainda vivo(a), caso ele(a) esteja na verdade morto(a) ou seja falso(a).
Mas, caracamirmã, como você custou a dar as caras por aqui, hem!
A Shirley, demais leitores-comentadores, é a minha amiga mais antiga. Nos conhecemos quando eu fui ferido a golpes de baioneta no mindinho do pé esquredo e ela me socorreu, livrando-me da morte iminente, na Guerra do Paraguai!

Fátima disse...

Olá Tuca
rs.. muito bom! Vou experimentar tua receita. Particularmente adoro essa repetição de frases e palavras.
Visitando pela 1ª vez, te seguindo.

Beijo meu

Lupe disse...

Será que eu poderia usar só a parte da receita que está em "Obs."?
Isso, Tuca, porque ainda não posso pensar no Grande Amor, preciso primeiro me livrar de um homem-bem-apetitoso-e-ainda-vivo made in Paraguai.
Bjs

Tuca Zamagna disse...

Obrigado, Fátima. Seja bem-vinda.
Pode experimentar a receita, sem susto. Mas... se por acaso não sobreviver a ela, me avise, tá?
Beijo nosso

Fique à vontade, querida Lupe, para usar a receita como achar mais conveniente. Mas, se a vítima é falsa, acho que só a manada de piolhos gigantes já é sufiente pra você se livrar dele. Em todo caso, não descarte a possiblidade de usar o paralelepípedo.
Bjs

Cesar Cardoso disse...

Exmo. Sr. Dr. Tuca Zamagma,

Não encontrei os piolhos gigantes de Borneo no mercado. O mais parecido que arrumei foram três tartarugas albinas de Sumatra e oito apresentadores de tv búlgaros.
Serve?

Atenciosamente

Cesar Cardoso

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Tuca,
Paralelepipedamente genial a receita: 'olhos nos olhos, quero ver o que você me diz'...

Abraço mineiro,
Pedro Ramúcio.

Eliane F.C.Lima disse...

O problema é achar tanto paralelepípedo, tanto ouvido para usar tantos cotonetes, tantas manadas de piolhos gigantes. Os advérbios de baixo calão já esgotei minha lista. Porque só tenho encontrado gente não viva e falsa. Ich...
(Por coincidência, a palavra que devo colocar abaixo como código de segurança é "consolum". Será ironia do destino?)
Eliane F.C.Lima

Tuca Zamagna disse...

Ilmo. Prof. Dr. Phd - em Humor e Plantação de Codornas Beluga - Cesar Cardoso,

As tartarugas albinas de Sumatra estão para os piolhos gigantes de Bornéu assim como a purpurina está para o orégano. Ou seja, cabem como uma luva de pelicano na receita e na cara do(a) homem(mulher) bem apetitoso(a) e ainda vivo(a) mas na verdade morto(a) ou falso(a).
Já os oito apresentadores de tv búlgaros podem substituir os cotonetes usados, desde que cumpram estágio de seis domingões com o Faustão e sobrevivam.

ATENÇÃO, galera comentadora!
O CESAR CARDOSO acaba de tirar do forno (de seu primo FH) uma cacetada de postagens que abordam (com fidalguia e mão na bunda) assuntos importantes como tupinambás, GORDINHAS, samba italiano, O MENOR CONTO DO MUNDO, Arnaldos & Antunes, ROBERT CRUMB e, principalmente, TUCA ZAMAGNA!!!
Pra pintar no blog dele é só clicar em PATAVINA'S no meu blogroll.

vecuri disse...

TUTUcão meu querido, não resta a menor dúvida sobre seu astuto texto
desinformativo e PORQUE não revelar tênues resquícios de crueldade.
Digamos que "olhos bem quentes e incisivos " denotam a presença de um bisturi pronto p/ corta-los e portanto faze-los despencar. DEPOIS entre outras perversidades vc polvilha toda a pseuda brisa marinha sobre a criatura. TUTUcão , abrisa era Mercantil, elementar meu caro Watson esse "grande amor não brotou mas, porém ,contudo Broxou p/ o bem de todos ante somente os 3 minutos conferidos a criatura SAUDAÇÕES BOTAFOGUENSES VERA CURI......................

Tuca Zamagna disse...

Paralelepipedamente obrigado, Pedro!
Abraços conterrâneos

Paralelepípedo, basta um, Mestra Eliane. A não ser que o não-vivo e/ou falso seja muito cabeça-dura. O resto você encontra fácil nos sites de vendas.
Dou mais sorte: o único não-vivo e falso que encontro assiduamente é o cara do espelho.
Consolum? Isso é que é código de SEGURANÇA! Você tá com tudo e não tá prosa. Até o destino está, ironicamente, do seu lado!!!

Vera Curi, você se mantém nesse firme propósito de me enlouquecer, né? Mas não vai conseguir: o Grande Amor já fez isso há muito tempo!
Saudações botafoguenses (nossos adversários vão pirar com a trinca Maicossuel, Jóbson e Vecuri!)

Frederica disse...

HAHAHAHAH Adorei!
Não tenho muita fé nos homens, sabe? Mas dos paralelepípedos sou devota!!!
Beijo

Aline Chaves disse...

Fantástica esta receita! Simples e objetiva, não é mesmo? Só tenho uma dúvida: se o homem bem apetitoso usar óculos, mando o olhar quente e incisivo assim mesmo? Ou dá algum problema se os óculos caírem dentro dele junto com meu olhar? Bjs

INFECTADA X disse...

Jjajajjajaj. Que bueno. Tienes un blog estupendo y me encanta la cabecera. Un beso

Tuca Zamagna disse...

Muchas gracias, Infectada X.
E agora, com você e seu parceiro Infectado Cero nos seguindo, posso aprimorar a Receita para o Grande Amor incluindo, como reprimenda à(ao) mulher(homem) bem apetitosa(o) e ainda viva(o) falso ou morto, a infecção generalizada!
Un beso (com camisinha na boca)

Clara Belisário disse...

Como faço, Tuca, se o homem bem apetitoso e ainda vivo for cego?... Hein? Hein? Hein?

Beijo

Marcel Zaner disse...

Esse lance aí só funciona com homem ou mulher?
Não é meu caso, mas vai que a pessoa esteja apaixonada por uma(um) cabrita(o) ou bananaeira(o)...

Tuca Zamagna disse...

É mais simples, Clara. Basta envolver o cego na conversa mole, dizer que você é linda e coisa e tal. Quem não vê cara não vê coração.
Beijo

Pra cabrita(o) e bananeira(o) ainda não tenho receita, Marcel. Serve pra lagartixa(o)?

Márcia Luz disse...

O problema é que, apressada, não levo a sério os textos injuntivos. No meu caso com o homem bem apetitoso e ainda vivo, por exemplo, li só os ingredientes e, me considerando boa de cozinha, ignorei a parte do preparo e, obviamente, a observação. Já parti pra beira do fogão com tudo na mão. Joguei o paralelepípedo, os cotonetes usados, a manada de piolhos gigantes e os advérbios de baixo calão... O GRANDE AMOR até brotou, mas depois afundou, solou... Acabei aprendendo, por ensaio e erro, mas... que preguiça de começar de novo...

Tuca Zamagna disse...

Também gosto de cozinhar, Márcia, e sempre inventando coisa nova ou modificando os pratos já feitos. Repetir é um pé no saco, né?
Sugiro então, como experiência, que você junte ao refogado já pronto o homem bem apetitoso e ainda vivo... e leve ao forno para gratinar!
Beijos

Anônimo disse...

Adorei o post e também conhecer o teu blog.
é muito legal mesmo, do jeito que eu gostaria de fazer o meu, o qual estou planejando a meses e nunca começo :P

Sylvia Monari

Tânia Meneghelli disse...

Oi Tuca!

A postagem está ótima, mas vamos combinar que os comentários estão de arrasar.

Caraca, me diverti demais agora! kkkkkkkkk!!!!

Beijoca!

Tuca Zamagna disse...

Pois é, Tânia, meus leitores são craques nas artimanhas "culinárias" do amor. Com mortos-vivos e falsos, principalmente.
Acho que vou passar pra eles aquelas fofocas leguminosíssimas que você colheu na TV e replantou no seu blog...
Beijoca

Patrícia Gonçalves disse...

Tuca, vc não acha que 3 minutos é muito pouco não?

Agora, adorei, um homem vivo...,

adorei os paralelepípedos também, meio pesados, mas excelente ferramenta!!

beijos grandes!

P.S - Essa receita também serve para arranjar marido?

Vera Andrade disse...

Acho que com os caras que tenho conhecido ultimamente dá pra simplicar bem a receita... Usar só o paralelepípedo e cair fora! Bjs

Tuca Zamagna disse...

Acho não, Patrícia. Três minutos é mais do que suficiente pro amor pegar. Nessa de ficar dando tempo demais, muita(o) infeliz passa anos e anos à espera de uma prova de amor do cadáver pelo qual se apaixonou!
Epa! É um paralelepído só, garota. Basta matar, não precisa soterrar o(a) desgraçado(a).
Beijos grandes!
P.S.: Serve pra arranjar tudo: marido, namorado, amante, ficante, come-e-cospe etc.

Não seja pessimista, Vera. Tem muito homem ruim neste mundo, que merece mesmo uma boa paralelepipedada. Mas tem também os péssimos, que merecem toda a tralha listada na receita!
Bjs

Jenny Paulla disse...

Ah Tuca,vc gostou mesmo?Eu não sei fazer poesia.:(
Mas eu vou arriscando de vez em quando....haha
Aliás,eu acho q vc devia conferir esse blog aqui:
neodadareload.blogspot.com/

acho q vc vai gostar.apesar d ser meu e d um amigo,não está falando d mim!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
e q bela obra d arte aquela hein, eu com ctz iria amar uma dessas.mas é um tipo d arte q vc precisa conhecer muito bem a outra pessoa pra ficar tão lindamente equilibrado(ou não)kkkkkkkkkk
;D
Bjs

Tuca Zamagna disse...

Sabe sim, Jenny. E se não sabe, e fazendo que se aprende.
Vou chegar nesse blog, pode esperar.
Você está falando do quadro que fiz pro Paulinho, né? Que bom que você gostou. Sim, é preciso conhecer muito bem a pessoa pra fazer algo como aquilo. Ali tem detalhes extremamente pessoais. Por exemplo: o Snoopy tocando sax. O Pauliho toca (ou tocava) sax, e tem uma cachorra que tem exatamente a pelagem que botei no Snoopy.
Bjs kkkkkkk e mais bjs kkkkkkkkkkkkkkkk

PIONERO DE LA POESÍA ESTANCIAL. "Todo lo que es, deja de ser simultáneamente y es"... Éclides disse...

simplemente............... genial ;)

Rosa disse...

Gostei da praticidade .. rs

Tuca Zamagna disse...

Obrigado, Pioneiro!
Abraço

Sim, Rosa, se não fosse prático não estaríamos divulgando aqui. Somos devotos de São Descartes, com MBA em utilitarismo por educação a distância direto da Universidade de Qixeramobim, Ohio.
Bem-vinda a bordo, estibordo e boreste!

Curiosa disse...

Querido,
adoro as 'desinforações' que você nos presta ... muito 'informativas' ..

adorei o espaço ...

bj

Tuca Zamagna disse...

Obrigado, Curiosa. Esse é o nosso grande objetivo: desinformar cada dia mais e melhor!
Beijo