quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

O Grande Desfile de Pin-ups - I

.
.  . .. .Sarita Monroe ou Marilyn Montiel

Eu pretendia começar esse desfile pela ordem natural, polvilhando minhas amigas pelo rastro luminoso das origens da expressão pin-up: os desenhos sensuais de Gil Elvgren, Alberto Vargas, George Petty e outros, ou as fotos de Betty Grable, Bettie Page e outras modelos e atrizes – desenhos e fotos que celebrizaram esse veículo que desde a década de 1940 vem reinando absoluto em ambientes masculinos, sobretudo nas trincheiras bélicas de todo o mundo e nas oficinas mecânicas brasileiras. Mas decidi privilegiar uma perspectiva bem egocêntrica, homenageando as duas deusas que primeiro se “pinapearam” pra cima de mim: Sara Montiel, na minha infância, e Marilyn Monroe, na adolescência –  antes, muito antes de eu sequer desconfiar do que pin-up queria dizer.

Embora seja dois anos mais nova que Norma Jeane MortensonMaria Antonia Alejandra Vicenta Elpidia Isidora Abad Fernández, a minha Sarita, estreou no cinema em 1944, três anos antes de minha Marilynita. Levou, porém, 14 anos para virar um sex symbol universal como MM, certamente porque esperou até eu apresentar, com 8 anos de idade, a indispensável maturidade sexual para me lambuzar todo no cinema da minha Leopoldina, em Minas, ao mergulhar de cabeças (!) nos decotes abismais da violeteira. Sim, só podia ser a Sarita e em Leopoldina, pois  no Rio, onde eu já morava, as transbordantes bochechas toráxicas da espanhola eram proibidas para menores de 14 ou, pelo menos, 10 anos, e Marilyn era ainda mais censurada, tanto aqui como  na minha cidade natal, onde suas curvas derrapantes nunca iam às telas nos períodos de férias escolares.

(...)
Quando eu deixei o meu quintal
Menino
Eu já sabia que era só
Rolar no chão
Desenterrar qualquer tesouro
Mas eu queria ser pajé
Voar
Na matinê de teco-teco
Azul
Jogar panfleto no decote
Da Sarita violeteira
(...)

.............  ........Da canção Lingerie (Carla Capalbo / Tuca Zamagna)

––––––––––––––   Imagens fontes   –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– . .... .. .




Dito isso, digo mais: as seis pin-ups e um “pinapo” que estavam escalados para desfilar logo depois de Sarita Monroe (ou Marilyn Montiel) foram interditados por motivo de felicidade maior, qual seja a comemoração do aniversário da cineasta carioca Cristina Leal e do poeta baiano Assis Freitas. Vamos, pois, a eles, galera sedenta de “pinapagem”!


Cris Ziegfeld Girl
. .

Cristina Leal faz filmes, todos imperdíveis, exceto três, inacháveis, de tão reais: “O Tema de Lara”, “O Tom de Vinicius” e – o meu predileto – “Os Retratos de Clarissa, Cacá ou Cla”. Diz ela, toda gabola, que faz anos também – hoje (na verdade, ontem, porque publiquei essa postagem justo quando o dia 9 zerava!). Grandes merdas! Anos, até eu, que não lido nada bem com o tempo, sei fazer com os pés nas costas: já fiz uns treze ou quatorze em pouco mais de seis décadas de vida! 

Blog da Cris:  Considerações do coração
. 
.  . .. ....––––––––––––––   Imagens fontes   –––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––– . .
 .. .



 .. A Águia de Feira
. .
 .
Quando meninos, o escultor Zé Andrade, o advogado Mané Freitas e o escritor Luís Pimentel, amigos meus que também são de Feira de Santana, vendiam laranja na porta do estádio do Fluminense local. O José de Assis Freitas disputava a freguesia com os três, mas vendendo melancias, jacas e outras frutas maiores que essas, quase tão grandes quanto sua cabeça infinita de poeta. A cada comprador, o bardo petiz dava de lambuja um exemplar de seu primeiro livro, “Mil e um hacais”. Depois ele passou a escrever poemas maiores, mas sem jamais perder o espírito microscópico e mágico do poema oriental. Parabéns, poeta, pelo seu aniversário! Parabéns, leitor, por acreditar nas minhas mentiras beatificadas pelo karma do poeta!

Pra encerrar com verdade, um hacai do livro-brinde do Assis:


abobras austrais
pipas do terreiro
em que se pisa com asas


Blog do Assis: Mil e um poemas 

 .. .
. .. ... ––––––––––––––––––––   Imagens fontes   ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––




19 comentários:

Domingos Barroso disse...

Salve!

forte abraço!

Joelma B. disse...

eu acredito em tua arte, Tuca!! Maravilha!!

beijo!

Ateliê Tribo de Judá disse...

É sempre interessante fingir acreditar nas verdades mentirosas dos poetas, nos faz sonhar.

beijos
parabéns pelo blog

Joelma

Tania regina Contreiras disse...


Tava com saudade disso aqui! rs

Beijos,

Patrícia Gonçalves disse...

Vim, li, ri e tô deixando o meu rastro... E a título de esclarecimento, acredito em tudo o que você diz... kkkkk, inclusive nos seus elogios à Cataguases.

beijo grande querido

Maria Janice disse...

Pinapagem de primeiríssima. Com descrição digna de sugestão de roteiro de cinema ou orelha de livro, artigos para jornais, revistas, blogs, descrições para mentes paranormais. Guri, fantásticas tuas artes!!!
Beijo, Tuca!!

Pólen Radioativo disse...

Um beijo pra tuas letras
que mais parecem gueixas.
Mil beijos para cada um dos
aniversariantes e, para ti, meu amor,
um enorme cheiro no cangote.

Clara Belisario disse...

Até que enfim!Eu já estava ansiosa. Mas valeu a espera. As imagens ficaram muito bacanas e o texto delicioso como sempre.

Beijos

Luis Bento disse...

Arte, ironia, um equilíbrio sóbrio que sempre nos faz sorrir e seguir. Primeiríssima qualidade!

Eleonora Marino Duarte disse...

uma festa para a criatividade é o seu talento, meu querido! excelente escrita, maravilhosa arte pinapeante, principalmente na ave do paraíso do querido Assis.

La violetera foi o meu primeiro filme no cinema, é coisa de memória afetiva e definitiva.. na casa de minha avó, nos sábados, na ilha do governador, eu ficava no quintal, durante as férias do verão, seis anos, ouvindo os discos de la Montiel que meu tio, na época com 27 anos, escutava apaixonado. hoje (ontem, dia 11) é aniversário dele. furtei a foto de Sara e levei, deixei no face dele, vai morrer do coração... deixo em troca:

http://www.youtube.com/watch?v=8ZxR-6LWuJc

sei lá, «Eu não devia te dizer, mas essa lua, mas esse conhaque, botam a gente comovido como o diabo.»

um beijo, querido.

Daniela Delias disse...

D-e-m-a-i-s!!!!!!!!!!!!!

Bjo, Tuca :)

Assis Freitas disse...

as mentiras dos poeta são sempre críveis e incríveis, sinto-me entre estes e destes bardos em companhia,


grande abraço Tuca

p.s. era pra vir antes, mas dantes como no quartel faltou-me a tecnologia de uma tomada de três pontas e o note foi para o espaço

Jenny Paulla disse...

Báh, Tuca, que passarela de gala, hein!
Aguardando os próximos desfiles!
Beijos ;)

Bípede Falante disse...

Adorei :)

beijosssssssssssss

Deco disse...

Maravilha, Tuca! Imagens e textos luxuosos. Que venham logo mais pinups!

Abraço

JOTA ENE disse...

Adoro PIN-UPS ...///

Aline Chaves disse...

Bela idéia, Tuca. Espero que nas próximas postagens venham desenhos do Elvgren. Vem, né?

Beijos

Sara disse...

Eu amo moda pin up, porque lembra o passado. Eu amo a vestidos inspirados em pin up e também frascos de perfumes que lembra uma outra era.

beatrice De disse...

Et le French cancan, elles montrent aussi leurs jambes !!!?

Un petit bonjour de Lausanne en Suisse.