domingo, 18 de março de 2012

Candente

 Integridade
Da mulher descalça, tirei a roupa toda, mas não vi nem sombra de mulher. Peguei então os seus sapatos e lá estava ela, integramente nua.


Pés no chão
Sabia onde pisava, mesmo quando andava de cabeça para baixo. Porque tinha o céu na planta dos pés e, assim, também os pés plantados no céu.

  
 Virtual
Após dias recebendo dela o mesmo e-mail, decidi agir. A polícia invadiu a casa, onde encontrou, no monitor ligado, o seu cadáver virtual.

 
 
 Sedução fatal
Achou sexi o andar da saúva. Endoidou com a olhada que ela lhe deu antes de sumir terra adentro. Seguiu-a, mergulhando o pau no formigueiro.


 Sonhos
Antes desse prédio, aqui era a casa onde criei meus filhos. Antes dela, o lote vazio. Nem sonhava um dia nele erguer a sepultura dos meus sonhos.

 
Despeito 
Tu não achas que devias aparar um tanto o vosso bigode, ô Manuel?
– Despeitas-te, Maria, porque o vosso não sabe encaracolar as pontas.


   O pai
Perdia-se cada vez mais no caos mental que transbordava de si. Até que inundou todo o planeta e se tornou o pai da nova ordem mundial.


 
Pátria
“A pátria é concreta para quem a deseja e seu tamanho é proporcional ao orgasmo decorrente desse desejo”, pensa, a masturbar-se, o exilado. 


   Viver
“Viver é curar feridas para lapidar diamantes”, escrevera. Mas quando a amada se foi, deu de lapidar feridas para curar-se dos diamantes.  


 Candente
Agarrado a uma garrafa, o náufrago lançou às correntes marinhas a ilha, mensagem mais candente – achava – que um bilhete engarrafado. 
 
@  .  . . .  @  .  . . .  @

Todas as ilustrações desta postagem são do designer, chargista e caricaturista Tonho Oliveira, inventor do velocípede submarino, da caipirinha de chimarrão e do trocadilho em spray. Para saber tudo o que anda aprontando esse gaúcho de alma inca-etrusca comprada em Foz do Iguaçu, visite os seus blogs:
 .

24 comentários:

Janice Adja disse...

Que criativo!

Luiza Maciel Nogueira disse...

adoro a obra de Tonho, foi muito divertido ver o diálogo de vocês dois. Sempre com bom humor

Beijos

MIRZE disse...

Que beleza de post! Claro que Tonho, brilhou, mas o bigode....nunca umaginei e só depois me toquei.

Excelente!

Abração

Mirze

byTONHO disse...



Que criativo! (2)
...

-- Só isto Tonho, desembucha!

Quem mandou fuTUCÁ os 'loko'...
AnTONHO c'u TUCA deu nisso!


E agora...?!

AconTchê...SEU!

:o)

Beti Timm disse...

Sou artista plástica e achei teu trabalho muito bom e com a essência da criatividade. Parabéns!

Pérola Anjos disse...

Atraente, perturbador, fascinante!

Santa criatividade!

Beijos

Mutulina Raquel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rossana Masiero disse...

Pronto!
Agora que a vaca vai pro brejo!
Juntaram-se meus dois "estroinados" prediletos, que hão de devastar qualquer vestígio de mau humor net a fora...

Feliz por me chamar Tuquinha.

bj
Rossana

Marcantonio disse...

Mas aí é abuso de poder! Reunião de dois gênios, o Tonho e o Oliveira! É sacanagem, Tuca. (Olha só como esta frase é ambígua, é um pedido de desculpa pela brincadeira, mas também parece ser um vocativo para a afirmação interior; acho que imagens não têm muito esse problema, rs.).
O Tonho é não só extremamente criativo como também produtivo! Ufa!
Daí que, como na relação música e letra, fiquei pensando na questão do ovo e da galinha... O que veio primeiro?
Mas o mais importante é que se tem aí igual deleite com duas linguagens diferentes.

Grande abraço para os dois!

Mendonça disse...

Ótimos microcontos, pra variar, Tuca.
Integridade, O pai, Pátria e Candente são pequenas obra-primas.
E as ilustrações do Tonho Oliveira, um luxo!
Abraço

Andrea de Godoy Neto disse...

Tuca, a criatividade de vocês é um absurdo.
Não canso de dizer que valem ouro esses teus contos de réis
eu adorei "Despeito"...rs

e o Tonho...bom, o tonho é um talento (como todo bom gaúcho...claro :)

beijoooo pros dois

Aline Chaves disse...

Eu não conhecia o trabalho do Tonho. Muito bom, Tuca. Somado aos seus microcontos sempre maravilhosos, o resultado é um port espetacular, raro de se ler... e ver!
Um beijo

Anônimo disse...

Essa dupla já foi sonhada, imaginada, enfim acontece e acontece assim: perfeita!
Segundo comentário que tento e não consigo...Vamos ver

Dario B. disse...

Já está abençoado o casamento dos dois Antonios, fenomenal. De quebra a participação nos comentários do Antonio³ (O Marco).

Pólen Radioativo disse...

Tão bom ter o céu na planta dos pés... Dá pra ficar assim: Nas nuvens... Pulando de conto em conto contigo... E com os olhinhos saltitando nas artes do Tonho.

Beijinhos cheios de saudade...

Anônimo disse...

A anônima aí acima sou eu, que achei a união da dupla de uma bom gosto e uma genialidade impecáveis!
Beijos,
Tânia (se não sair meu nome, já ssinei...rs)

Assis Freitas disse...

com uma dupla dessas, eu fazia até filme de faroeste na zona oeste, beleza


abraços

Regina Lemos disse...

Viver, Despeito e Sedução Fatal causam uma empatia imediata, irresistível. Mas são os outros contos de réis que nos levam através da sua corrosiva ironia, Tuca, à reflexão e ao riso que brota lá no fundo da alma. Beijo

Antonio Alves disse...

Muito boa essa safra de microcontos, Tuca. Melhor ainda com as ilustrações do Tonho.

"O pai" não seria a gênese do Pai que nos governa neste mundo globalizado para o bem de sua meia-dúzia de filhos “legítimos”? Assim como "Pátria" parece concretizar o desejo de todos que se sentem exilados dentro do seu próprio país...

Abraços

Antonio Alves disse...

Essa verificação de palavras, que sempre me irrita, de vez em quando, como no meu comentário anterior, me brinda com pérolas:
malufense aborigens

Clara Belisario disse...

Gostei de tudo, Tuca, dos contos às ilustrações do Tonho. "O pai" e "Pátria" são geniais.

Beijos

Marcel Zaner disse...

Bela dupla! As ilustrações do Tonho são, na maioria aqui, verdadeiras charges. Quem ganha somos nós leitores, que temos o post multiplicado. Abraço

Elisa T. Campos disse...

Gostei mais do Viver

Dei muita risada de Despeito

Dupla perfeita.

dani carrara disse...

eu me acabo aqui. mto especial.
mas dá pra sair zonzinha. (igual quem bebe rabo de galo)

abraços.