quinta-feira, 14 de abril de 2011

Ninguém é de ferro

.

.

Quem com ferro ferra, com ferro será ferrado.

.



.............. .Caça à raposa

.............. .............. ... ....... ..... (João Bosco e Aldir Blanc)

.

.............. .O olhar dos cães, a mão nas rédeas

.............. .E o verde da floresta

.............. .Dentes brancos, cães

.............. .A trompa ao longe, o riso

.............. .Os cães, a mão na testa:

.............. .O olhar procura, antecipa

.............. .A dor no coração vermelho

.............. .Senhoritas, seus anéis, corcéis

.............. .E a dor no coração vermelho

.............. .O rebenque estala, um leque aponta: foi por lá.

.

.............. .Um olhar de cão, as mãos são pernas

.............. .E o verde da floresta

.............. .Oh, manhã entre manhãs

.............. .A trompa em cima, os cães

.............. .Nenhuma fresta

.............. .O olhar se fecha, uma lembrança

.............. .Afaga o coração vermelho:

.............. .Uma cabeleira sobre o feno

.............. .Afoga o coração vermelho

.............. .Montarias freiam, dentes brancos: terminou

.

.............. .Línguas rubras dos amantes

.............. .Sonhos sempre incandescentes

.............. .Recomeçam desde instantes

.............. .Que os julgamos mais ausentes

.............. .Ah, recomeçar, recomeçar

.............. .Como canções e epidemias

.............. .Ah, recomeçar como as colheitas

.............. .Como a lua e a covardia

.............. .Ah, recomeçar como a paixão e o fogo

.

25 comentários:

Malena disse...

A paixão é tantas vezes como a caça... Só que nela, a presa é voluntária. :)
Abraço lusitano

Aleatoriamente disse...

Tuca, essa irreverência que acho bonita nas tuas poesias é bem estilosa.
E que saudades tuas moço!
Passei para te deixar um beijo e um pito.
Suma mais não! Não sabes acaso há aqueles que sentem muito tua falta?
Euzinha sinto.

Um beijo
Fernanda

Zélia Guardiano disse...

Indiscutivelmente, Tuca!
Indiscutivelmente...
Rsrsrsrs...
Post formidável!
Abraço, amigo.

Mendonça disse...

Nenhuma outra música jamais me causou o impacto que Caça à raposa. Considero-a a melhor da dupla João Bosco e Aldir Blanc e uma das maiores, se não a maior interpretação da Elis. Já a ouvi dezenas de vezes nestes quase 40 anos de seu lançamemto e não comsigo deixar de me emocionar, de ficar arrepiado dos pés à cabeça.
E quem tem na amemória o período negro que então vivíamos pode entender e sentir mais intensamente o que ela tem de mais poético, de paixão redentora

Obrigado por este momento especial que ilumina o meu dia, insuflando-me o desejo de recomeçar, recomeçar...como a paixão e o fogo.

Grande abraço!

Loba disse...

é, tb quero agradecer pela oportunidade de ouvir novamente este trio. a gente tb vai se esquecendo o que é bom demais!
a frase é perfeita e a imagem tb! que se ferre os que se acham ferradores! rs...
beijo, moço!

Tania regina Contreiras disse...

Ah, recomeçar como as cançõaes e as epidemias!

Belo presente, Tuca, ouvir isso pela manhã me deixa mais...mais...mais eu, ora!

Elis continua cantando tão bem!
beijos, menino!

Assis Freitas disse...

a expressão primeva do metal,

abraço

Izabel Lisboa disse...

Canção que nos invade como um estandarte impetuoso à frente de batalha... Pela via da paixão estamos todos maravilhosamente ferrados...
Beijos e obrigada pelo tesouro!

Lupe disse...

Acredita que eu não conhecia essa música, Tuca? Logo eu que sou alucinada pela Elis. Como que uma jóia como essa fica perdida no tempo?

Acabo de ouvir várias vezes. E me arrepiei toda em todas as vezes. É a coisa mais bonita do João Bosco e do Aldir Blanc (que letra!!!) que já ouvi. E com uma interpretação antológica da Elis!

Obrigada, queridão! Beijos

Wilden Barreiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wilden Barreiro disse...

a Elis gravou 'Caça à raposa' com uma perfeição tão absoluta que nunca mais ninguém ousou gravá-la.

ou não é nada disso, e eu é que estou delirando?
é, acho que estou, sim.
o mais provável é que ninguém quis gravar porque não valia nem vale a pena comercialamente.
quem se interessa em ouvir uma música tão rica e inovadora ainda hoje, quase 40 anos depois de ter sido gravada por Elis e pelo próprio João Bosco?

além disso, esta letra é uma grandíssima PORCARIA, se comparada a qualquer obra-prima poética composta ou gravada por amado batista, roberto carlos, xuxa, osvaldo montenegro, tiririca e tantos outros gênios da MPBreu.

mas - fala sério, wilden! - ainda tem esse arranjo monstruoso, acho que do Cesar Camargo Mariano, não?
são três climas bem distintos nas três estrofes.
na primeira, o tatibitate delicado de realejo, de caixinha de música.
na segunda, a mais "sinfônica", o que se destaca é a contenção, a precisão cirúrgica da percussão.
na terceira, vem esse inicio clean, só com acordes de base, até "ah, recomeçar, recomeçar", quando explode um piano dramático que vai crescendo obediente ao compasso da emoção da Elis (feito um cachorro subindo a escada e lambendo os calcanhares da dona) até "ah, recomeçar como a paixão".

mas o melhor de tudo são as três pausas instrumentais no pé do verso final de cada estrofe,
e Elis arrebentando, à capela, em "foi por lá", "terminou" e "e o fogo".

genial é pouco.

estou até tonto, seguindo pra onde o leque aponta: POR LÁ, TERMINADíSSIMO, até recomeçar a paixão E O FOGO... E O FOGO...

♪ Sil disse...

Tuca,

E você que tantas vezes me faz sorrir, hoje me emocionou.

Eu AMO Elis.
Amo tudo que vem de Elis.

Sim, ela agora é uma estrela.

Um beijo meu querido!

Sonia Guzzi disse...

Tenha um feliz final de semana.
Gde abraço, em divina amizade.
Sonia Guzzi

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Ninguém é de ferro, mesmo.

Negação de Irene disse...

kkkk ri muito com o ditado: quem com ferro fere... rsrs

Ira Buscacio disse...

Tuca, meu querido, o ditado só não é mais perfeito, pq é utópico e a imagem fala por si só.

Agora vem cá, meu nego! Caça à Raposa é de virar a cabeça, os olhos, a mão. Maravilha
Vc nem imagina como a música tem poder sobre meu sangue. Essa canção me fez lembrar de mim, do tempo que compunha e que deixei perdido no tempo.
Aldir é um dos letristas mais brilhantes que nós temos. Bingo, bingo!
Bjocas e bom fds

Eraldo Paulino disse...

Este blog é carregado de desobediência, pecado, desrespeito, erotismo e tudo que Deus não gosta...

Por isto estou seguindo.

Bjs!

Eraldo Paulino disse...

Este blog é carregado de desobediência, pecado, desrespeito, erotismo e tudo que Deus não gosta...

Por isto estou seguindo.

Abs

Cris de Souza disse...

eta, ferro! dá-lhe pimentinha...

(comecei sorrindo terminei quase chorando)

Clara Belisario disse...

Adoro a Elis e essa música é maravilhosa, uma das obras-primas de João Bosco e Aldir Blanc.

Cantada por ela dá vontade de ouvir mil vezes seguidas!

Beijos

Raquel Amarante disse...

Genial seu blog Tuca!
Impossível não seguir!

Thiago Thi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Thiago Thi disse...

Nessa caça, me ferro sem chiar. E tanto faz se sou caçador ou raposa...

Abraço, amigo Tuca!

Maria Janice disse...

...recomeçar..
Vi algumas prescrições pro controle da epidemia. Os efeitos do remédio ainda é motivo de estudos.

Bela pérola, pra um fim de semana de chuva torrencial pelos pagos de Elis.

Indiasena disse...

¡Genial!