quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Tem três pontas o meu chapéu

.
. .

Teophanio Lambroso.. . . .


1 Mulher

Os chapéus femininos em eventos chiques cobriam de desejo a minha cabeça de adolescente. Eu tinha pouca prática mas muitas teorias sobre as mulheres. Uma delas era que mulher de chapéu fica mais bunduda. No Grande Prêmio Brasil, quando os cavalos entravam na reta final, como sempre todo mundo no Jockey Club se levantava da cadeira para ver quem seria o vencedor. Eu não, eu já era o vencedor, vendo o céu baixar na tribuna de honra, aquele céu estrelado de bundas de primeira grandeza.


2 Amizade

Ele usava chapéu como nenhum outro homem sabia usar. Tinha vários: só na minha casa, guardava dois ou três. Com ou sem chapéu, só tratava de cantares e encantares. Seduzia a todos. Mulheres, homens, crianças, cachorros, pardais, samambaias, amendoeiras, postes, paralelepípedos, a lua e as estrelas. Uma vez, disse: "Não fica bem para um adolescente fazer 50 anos". Outra vez, alertou: "Não entre jamais num hospital. Se entrar, só sai morto." Menos de um mês antes de completar 50 anos entrou num hospital pela primeira vez. Isso faz 20 anos, até já esqueci como terminou. Só sei que um dos chapéus ficou comigo. Ainda está aqui, bem ali no cabideiro em que deixo sempre a mão as roupas que nunca uso. Preto, como quase todos os que ele usava, mas já meio cinza de poeira e camuflado no meu caos doméstico, é quase imperceptível. Mas quando reparo que está ali, dói, dói bastante, sabe?


3 Humor

Não era um chapéu qualquer. Era bizarro, brega... um escândalo! Na rua coalhada de carros e pedestres a empastelarem-se na mesma ânsia de chegar em casa, quase ninguém o notou. Mas uma velhota falou "cruz credo", e um menino se dobrou de rir, a ponto de cair na calçada, já todo mijado. Teve ainda o ciclista da tinturaria que, ao virar a cabeça para olhar o chapelão, atropelou o gaiato distraído que recitava um trecho de Os Lusíadas para a chapeluda. Não atropelou de raspão, não: minhas pernas e meu quadril passaram três meses no gesso.


. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Imagens:

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Audrey Hepburn, em My Fair Lady, 1964

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 Cary Grant, em Night and Day, 1946

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 (Salvo engano) Hebe Camargo, em Tem Bububu no Bobobó, 1833

.

37 comentários:

Valéria Sorohan disse...

Acho bonito chapéu, pena só serem permitidos em lugares requintados como no Jockey Club.

BeijooO'

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

hahahaha..curti muito!
beijocas,
Mari

Zélia Guardiano disse...

Adorei as três pontas!
Como gosto e uso chapéus, doravante tomarei cuidado: identifiquei-me demais com a terceira ponta...
Grande abraço!

Lily disse...

Teopha,

O terceiro chapéu que, salvo engano, é da Hebe... risos, risos... mas é bonito, não é? Hum... pelo menos artístico. Quem é que vai usar um troço daquele na cabeça? Mas há quem usa, eu sei, neste mundão de meu Deus.

Eu amo chapéus, acho chique! E, por sorte, moro num lugar onde todos usam chapéus, de todos os jeitos, modelos, tamanhos... ainda não vi nenhum igual ao da terceira foto.

Ah!, adoro gente que conquista a todos, homens, mulheres, postes... rs!

Um abraço, meu querido!

meus instantes e momentos disse...

Muito bom teu blog.
Tirando-se evidentemente, a parte que se refere ao Flamengo...rsrs
Maurizio

a.h? disse...

la portada de tu blog me dejo loca :)

que pena no manejar tu idioma, tu pagina se ve tremendamente interesante!!!

un gran abrazo desde chile!

a1r2t3u4 disse...

Boa noite, gostei muito! abraços

Marcel Zaner disse...

Muito bom, Teopha!

A Hebe tá muito bem na foto....

Clara Belisário disse...

kkkkkkkkkkkk

você é uma peça rara Teopha!

Beijos

Ana SS disse...

Adoro chapéus! Acho um charme!

Eu, ΞĐU disse...

Oi, Anga...
Muuito bom o seu blog, suas idéias e seu bom gosto. Parabéns pelo trabalho.
Estou te seguindo.
Saudações,
EDU (http://edurjedu.blogspot.com)

Sil.. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, todos fofos!

Um abraço!

Thiago Thi disse...

Chapéu faz mesmo a bunda crescer???

Acontece que minha namorada é bem dotada de bumbum. Acho que se ela começar a usar chapéu, depois eu não vou caber na cama!

Abraço

Madá disse...

Gostei muito das três pontas do seu chapéu. Bem sacado o título (faz tempo que eu não me lembrava dessa música!)

E as imagens são ótimas. Que gato está o Cary Grant nessa foto!

Beijos

Wilden Barreiro disse...

To imaginando esse GP Brasil das potrancas bundudas!... kkkkkk

Abraço

li disse...

Nossa esse blog é cheião de coisas.. logo venho pra ver com mais calma...

Recadinho aqui para TUCA ZAGNA: oi,vc passou pelo meu blog há um tempão atras e me perguntou sobre colagens do Jorge de Lima.. pouts.. procurei mas não encontrei nada.. vou pesquisar mais.. e vamos nosfalando. parabéns por essa imensidão de coisas!

Grande Abraço

Aline Fonseca
Colar Faz Bem

Teophanio Lambroso disse...

Também gosto, Valéria. Mas nem no GP Brasil o chapéu tem o destaque que tinha há 20 ou 30 anos. E como vende pouco, está cada dia mais caro. Já não se fazem Belles Époques como antigamente...
Beijo"0o0"0o0"

Sozinha ou acompanhada, o negócio é rir, Mari!
Beijo

Veja lá, hem, Zélia. Não vá sair por aí fantasiada de Hebe Camargo!
Acho que vamos mandar um chapéu pra você... Bem discreto!
Beijo

Teophanio Lambroso disse...

A Zélia já está ameaçando usar um assim, Su. Pode?
Sair na rua com um trem desse, só se pendurar uma jaca no pescoço pra combinar.

Esse amigo da história é real. Ou melhor, era. Ou melhor, é!... porque ainda é mais presente na minha vida do que a grande maioria das pessoas que conheço. Tinha um carisma, uma força... uma capacidade de conquistar qualquer um com meia dúzia de palavras, ou até em silêncio.

Beijo

Teophanio Lambroso disse...

Boa-noite, a1r2t3u4 !
Se é que você consegue dormir com um nome desse! Quase quebrei a lingua tentando pronunciá-lo...
Aum Erredoistetresuquatro
Vou passar no seu blog pra ver se encontro um nome mais simples por lá.
Abraço

Não tenho muita certeza se é mesmo a Hebe, Marcel. Mas se é, tá uma tetéia, né?
Abraço

Peça rara coisa nenhuma, Clara. Sou comum, fácil de achar. Nos melhores brechós do mercado!
Beijo

Por isso é que eu só saio de chapéu ou de cartola, Ana. Esse é o segredo do meu sucesso com as mulheres (ainda que sejam só aquelas duas barangas carentes que não largam do meu pé...)
Beijo

Teophanio Lambroso disse...

A Anga tá no post anterior, Edu. Mas tudo bem, o que vale é a sua opinião, lisonjeira, sobre o blog. Obrigado!
Abraço

Fofos como o Teopha, Sil! kkkkkkkkk
Beijo

Não cheguei a provar a minha teoria, Thiago. Talvez, ter bunda grande é que faça o chapéu crescer.
Boa-noite! Sonhe com chapelões e... não caia da cama!
Abraço

Teophanio Lambroso disse...

Maurízio, desculpe ter pulado o seu comentário. Você não vai acreditar, mas... não foi discriminação contra flamenguista!
Abraço

Pulei você também, ah?
Pô, esse seu pseudônimo complicado transformou minha afirmação numa pergunta. Então vou respondê-la: sim, pulei você também.
Bem, no seu caso isso não faz muita diferença, porque você não entende mesmo português.
Abrazos o bezos

Teophanio Lambroso disse...

Eu também não me lembrava da música há tempos, Madá. Foram os três chapéus que me cutucaram a memória.
Beijo

Se rolar algum assim, me avise, Wilden. Vou me candidatar a jóquei.
Abraço

Você é rapidíssima, hem, Aline. O Tuca me falou do seu blog faz mais seis meses!
As colagens do Jorge de Lima nos interessam muito, mas não há nenhuma imagem boa delas na net. A única possibilidade, creio, seria no site do Museu ..... (?), da USP, que tem as reproduções de várias obras do poeta/pintor.
De repente, vou lá no "Colar faz bem" descolar umas colagens pra mim!
Beijo

Remedios La Bella disse...

Hola!1 Pasate por mi blog y recoge tu regalo!!Diario de una dependienta.

Regina Conde disse...

Adoro o seu humor, Teopha. Até em Amizade, uma história triste, ele aparece pra suavizar e encantar.

O fascinante personagem dessa história existiu mesmo?

Beijos

Aloisio Trobinski disse...

Muito bom, Teopha!
Já pensou em em postar textos mais longos?
Fica a sugestão.
Abraços

Deco disse...

Sensacional,Teopha!

Você devia voltar a publicar aquela coluna "Meu ouvido penico das mulheres". Parou por quê? Protesto de alguma feminista radical?

Abração

Lily disse...

Teopha,

Meu querido,

Eu é quem digo: caramba!

"Tem umas expressãozinhas especiais aqui e no "Palavras especias" lá no Medo. Vou catá-las delicadamente, como pétalas, guardar na minha bíblia (a desassossegada, do Pessoa) e ESPERAR... que o tempo as envelheça até a transparência redentora."

Caramba! Por causa do "error", eu fiquei com o segundo comentário e eu que não sou curiosa (não sou mesmo!), estou aqui, morta de curiosidade. O que é que você tanto escreveu e perdeu? E quais são as tais "expressãozinhas?"

Beijinhos!

Rodrigo Passos disse...

amei seu blog!

Eliane F.C.Lima disse...

Venho aqui só para ver o que é bom. Não sei se os chapéus ou as fotos. O Cary Grant era demais. Conseguiu uma façanha que venho tentando descobrir como se faz: estar bonito aos oitenta e quatro anos. Vai ver que o segredo era seu nome verdadeiro: Archibald.
Repensando: o bom mesmo são os chapéus, as fotos e o que os textos ótimos postados aqui fazem com eles.
Venho me encher do humor para começar a semana e ler o bombardeio dessas eleições. Só usando um chapéu mesmo.
Eliane F.C.Lima
Em tempo: só preparei o rascunho para postar amanhã no "Literatura em vida 2". Como é que o "Desinformação Seletiva", hoje, já colocou o retrato da Jacinta Passos aí ao lado?

Suedivaldo disse...

Oi.. Tudo bem?
Que bacana esse seu blog, muito interessante estou lendo vários textos aqui. Esse mesmo ta incrível. Parabéns pelo Blog e pelos Textos.
Vou continua acompanhando seus textos, pois já tou seguindo já. Segue o meu lá também, tem um trabalho bem bacana.

http://galeriadephotoos.blogspot.com/

Saudações, Abraço!

Suedivaldo

Teophanio Lambroso disse...

Bem-vida, Remedios!

O humor de um texto só existe se o leitor também o tem, Regina. E você tem humor de sobra, querida!
Sim, o personagem de Amizade existiu. Um amigo inesquecível.
Beijo

Já pensei nisso, sim, Aloisio. Mas não dá. Sou oito ou oitenta, então meus textos mais longos que essas merrecas que eu posto são qulométricos, inviáveis para um blog.
Abraço

Teophanio Lambroso disse...

Sei lá por que parei com aqueles textos, Deco. Não tem nenhuma razão específica, a não ser o fato, notóriuo, de que eu não bato bem da cabeça!
Se houvesse protesto de alguma feminista, eu não teria parado. Nada me deixa mais excitado que uma feminista raivosa.
Abraço

Não gosto ou não sei reescrever o que foi perdido, Suzana. Outro dia perdi três continhos que escrevi na rua - em papel, que não tenho notebook. Ainda me lembro bem da idéia geral de cada um deles, mas cadê saco para escrever de novo, buscar certas filigranas que só surgem na hora da criação.
As expressõezinhas posso dizer quais foram. Direi por e-mail ou lá mesmo nos comentários ao post. Mas seria bem melhor se você pudesse aguardar a "transparência redentora"...
Beijo

Teophanio Lambroso disse...

Obrigado, Rodrigo! Passaremos lá no seu blog.
Abraço

É sempe uma honra receber a sua visita, mestra Eliane. E mais ainda, ouvir elogios seus. Seu Literatura em Vida é fonte permanente de informação para nós, desinformados crônicos.
Ler sobre as eleições nesses jornais safados que temos não tem sido nada fácil mesmo não. Eu às vezes passo batido pela 1a página do Globo e vou espairecer nas seções de abobrinhas (esportes, horóscopo etc.) antes de encarar a árdua tarefa de tentar saber dos fatos lendo as entrelinhas das matérias cocorocas que o jornal me oferece.
Outro dia, li no meu horóscopo: "Deixe um pouco de lado as grandes questões que o afligem e aproveite o dia para meditar e cuidar dos seus sentimentos."
Joguei fora o jornal sem lê-lo e fui para a cama pensar na morte da bezerra!
Beijo

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Bem divertido. As imagens dizemtudo

Irma

Teophanio Lambroso disse...

Oh, não, Irma! Vou ter de apagar os textos, que estão sobrando...
Beijo

Ricardo Novais disse...

Cada um usa o chapéu que melhor lhe couber à cabeça, né mesmo?

Adorei o post; sarcástico!

Este tópico 2, Amizade, foi, como alcançou o Tuca, inspirado no poeta Paulo Emílio? Conheço pouco da obra do poeta, quase tudo corri atrás por indicação do próprio Tuca. Entretanto, dada a beleza e o humor do texto, ficou sendo este tópico uma bela homenagem ao Paulo. Muito bom mesmo!

Um abração,
Ricardo.

Curiosa disse...

Querido,
uma delícia me 'desinformar' com vc ...