domingo, 4 de julho de 2010

Dilema & Cia. Ltda.

.

Sabedoria

O que sei ninguém sabe. Não sei o que ninguém sabe. Sabem o que não sei. Pensando melhor: o que cada um sabe sabe ninguém. Há um mundo lá fora. Ninguém sabe. Depois, há isso: ninguém. O que é ninguém? Quanta bobagem toma minhas horas infinitas de insônia!

.

. . . . .. . O texto e a imagem acima foram extraídos de dois excelentes blogs. O texto, do Dilema Paulistano, do poeta Antônio Rebouças Falcão; a imagem, do Hélio Jesuíno & Cia. Ltda., do artista plástico que “preside a empresa”.

. . . . .. . Eis mais trabalhos da dupla, também selecionados e juntados por mim, à revelia de ambos, que nem se conhecem:

.

. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Inflamável.

. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Foi só
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Então,
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Depois do sexto gole,
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Que ele me disse:
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Deixo-me ser
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pólvora
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Para que
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Um mero contragosto,
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Desses que trazem
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Lágrimas legíveis,
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Se faça
. . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Súbita chama.


O erro do cavalo

Não quero me comunicar. Por quê? Ora, já me acomodei no silêncio e no devaneio. As pessoas não podem viver só? Quem disse? Entre estão e são, sou mais são. As pessoas nascem só. E são só. O que me acrescenta? Palavras... Narrativas... Ordenações... As suas não me interessam. As ordens são minhas no empurrar as pernas alternadamente. Caminhar. Locomover-me por ato de vontade, minha, única. Montaria pra quê?! À esquerda ou à direita, viro-me; pra frente ou pra trás, desloco-me. Sou o que faço. Sou quem faço. Intransigência? Não! Não espero que me acompanhe. Venha se quiser. Dizer que gostou é seu. Não subo em montaria, nem desço. O que há de andar, ande por sua e própria vontade. Olhar? Olho se quiser, não e fecho os olhos. Ouvir é mais difícil. Som entra, sem perguntar. Interrompê-lo implica perder braços e mãos; e, ainda assim, ouço. No sentido que quiser, a barbárie começa pelo ouvido, no grito. Burros gritam ou usam fones de ouvidos. Berros privados. Contra-silêncio. Por isso é duplo, para ser casado, dependente. Sou mais a sua boca calada. Dorme lá, tem cama e coberta. Sonhe seus sonhos, e não venha me contar no raso da manhã. Cale-se. Enforque-se no próprio espelho. Pense que você não precisaria ter acordado para que eu existisse. Faça silêncio sobre sua sombra opaca. Amanheça só e unicamente nos braços do sol. Só e unicamente. Sou nuvens. Tenho como companhia o vento; você, o vazio de seus ruídos. Quando adormeço, adormeço em franco escuro. Minha noite é sempre a última. Não cabe mais alguém.

.

¬ ¬ ¬ ¬ ¬ ¬ ¬. .

..

Links:

Dilema Paulistano

Hélio Jesuino & Cia. Ltda.

.

24 comentários:

reltih disse...

excelentes pensamientos. gracias por compartirlos.
un abrazo

Lupe disse...

Ótimos os textos, Tuca. E das ilustrações nem preciso falar, você bem sabe que admiro muito o trabalho do Jesuíno. Bjs

Κάκια Παυλίδου disse...

Σωκράτης: "Το μόνο που γνωρίζω είναι ότι δεν ξέρω τίποτε"!..


Στη Βουδιστική θεωρία το Κενό είναι το ΟΛΟ...

Μην πιστεύεις τίποτε...
ή ακόμη καλύτερα: Πίστευε στα πάντα!...

Όλα είναι μέσα στη σκέψη..
Αυτό που συνηθίζω να λέω είναι ότι "Όλα είναι αντανακλάσεις του νου στο επίπεδο της πραγματικότητας!"...

Φιλιά... αμέτρητα στο εδώ παρόν...

Deco disse...

"Sonhe seus sonhos, e não venha me contar no raso da manhã. Cale-se. Enforque-se no próprio espelho. Pense que você não precisaria ter acordado para que eu existisse. Faça silêncio sobre sua sombra opaca."

Muito bom, Tuca. Antonio Falcão é cáustico, contundente. Tudo a ver com os trabalhos do Hélio Jesuino.

aluisio martins disse...

maravilha de sítio. voltarei, com certeza.

Thaís Nogueira disse...

Olá Elza... Adorei a leveza do seu espaço. Espero novas visitas suas e espero poder continuar te lendo.Beijos

Virgínia Allan disse...

EXCELENTES textos... este último então me identifiquei bastante.Obrigada. Beijo

Кръстю disse...

Bravo!

Pistoleiro Corvo disse...

Belos pensamentos!
Abraços e fique bem.

Serge Cornillet disse...

Buscamos la respuesta en el amor!

Paco Bailac disse...

Saludos... Lo único que tenemos verdaderamente nuestro es la ignorancia.


Paco

mercedes de la jara disse...

Muy lindas palabras...

Mônico Reis disse...

Olá Tuca!
Gostei muito dos textos e das imagens tbm
Parabéns pelo blog.
Vou segui-la!
Seja bem-vinda a visitar meu espaço.
Um abraço.
Monico

heliojesuino disse...

valeu, brôu! obrigado pela intermediação...
Ainda tá na sêca ou já retomou os trabalhos?

Betty Manousos:cutand-dry.blogspot.com disse...

Excelente!!
Great blog!
Gracias por seguir.
Io seguir te!
Un abraco
~B :0

Betty Manousos:cutand-dry.blogspot.com disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
heliojesuino disse...

Passei lá no Dilema Paulistno. Irado, o mano!Bate no fígado e com uma contundência que vo te contar...
Já tá nos meus favoritos.
Boa descoberta, Antonio Cláudio Zamagna

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Tuca Zamagna disse...

De nada, Reltih.

Eu sei, Lupe. Mas fale assim mesmo. Ele vai gostar de ouvir.

Valeu, Kákia. Desculpe por eu não entrar em detalhes. É que hoje estou muito fanho para falar grego. αμέτρητα στο εδώ παρόν... pra você também.

Concordo, é claro, Deco. Por isso juntei os dois.

Bia Toledo disse...

vim ao teu blog por indicação da Fátima, de Santa.
muito bacana!

Tuca Zamagna disse...

Valeu, Aluisio. Nos vemos por aqui ou seu blog.

Respondendo pela Elza, Thaís: ela tem postado pouco, mas está sempre passeando pelos blogs preferidos dela. Esta semana ainda teremos algum post novo dela. Bjs

Eu também gosto mais do último texto, Virgínia. Postei os três juntos para dar uma idéia melhor da diversidade das abordagens do Antonio Falcão - e também das técnicas do Jesuíno.

Obrigado, Кръстю.

Tuca Zamagna disse...

Valeu, Pistoleiro Corvo! E me perdoe por tê-lo chamado (em resposta a um comentário seu em outro post) de Pistoleiro CURVO. Foi um lapso lamentável mas só um lapso, juro. Abraços

Sim, Serge, buscamos a resposta no amor. E o sacana tantas vezes nos diz não...

Posso dizer que dei sorte, Paco, porque, além da ignorância, tive de VERDADEIRAMENTE MEU um cachorro, algumas bolas de gude e vários pares de chifres.

Tuca Zamagna disse...

Gracias, Mercedes!

Valeu, Mônico. Já fui lá. Gostei muito das caricas do Noel, do Dunga e do Mike Jagger. Um abraço

Eu é que agradeço pelo privilégio que você me concedeu de poder postar à vontade seus brilhantes trabalhos, Jesuíno. O Antonio Falcão é realmente um craque do texto. Abração

Gracias, Betty! Um abraço

Tuca Zamagna disse...

Valeu, Bia. Beijos pra você e pra Fátima.