sábado, 23 de junho de 2012

Paisagem com dois túmulos e um cão assírio

.
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. .. . . . . . . . . . . . . . . . . .  Federico Garcia Lorca

. . . . . . . . . . . .  Amigo,
. . . . . . . . . . . .  Levanta-te para que ouças a uivar
. . . . . . . . . . . .  O cão assírio.
. . . . . . . . . . . .  As três ninfas do câncer estiveram bailando,  
. . . . . . . . . . . .  meu filho
. . . . . . . . . . . .  Trouxeram umas montanhas de lacre vermelho
. . . . . . . . . . . .  e uns lençóis duros onde estava o câncer 
. . . . . . . . . . . .  . . . . . . . . . . . .  . . . . . . . . . . . .  . . adormecido.
. . . . . . . . . . . .  O cavalo tinha um olho no pescoço
. . . . . . . . . . . .  e a lua estava num céu tão frio
. . . . . . . . . . . .  que teve de rasgar o seu monte de Vênus
. . . . . . . . . . . .  e afogar em sangue e cinza os cemitérios antigos.
. . . . . . . . . . . .  Amigo,
. . . . . . . . . . . .  Desperta, que os montes ainda não respiram
. . . . . . . . . . . .  e as ervas de meu coração estão em outro sítio.
. . . . . . . . . . . .  Não importa que estejas cheio de água do mar.
. . . . . . . . . . . .  Amei por muito tempo um menino
. . . . . . . . . . . .  que tinha uma peninha na língua
. . . . . . . . . . . .  e vivemos cem anos dentro de uma faca.
. . . . . . . . . . . .  Desperta. Cala. Escuta. Ergue-te um pouco.
. . . . . . . . . . . .  O uivo
. . . . . . . . . . . .  é uma longa língua arroxeada que abandona
. . . . . . . . . . . .  formigas de espanto e licor de lírios.
. . . . . . . . . . . .  Já se aproxima da rocha. Não alongue suas raízes!
. . . . . . . . . . . .  Chega perto. Geme. Não soluces em sonho, amigo.
. . . . . . . . . . . .  Amigo!
. . . . . . . . . . . .  Levanta-te para que ouças uivar
. . . . . . . . . . . .  o cão assírio.
.  

6 comentários:

Assis Freitas disse...

este Lorca era phoda,


abraço

Deco disse...

"O uivo
é uma longa língua arroxeada que abandona
formigas de espanto e licor de lírios."

Fantástico!

Abraço

Clara Belisario disse...

Lorca é maravilhoso!
Beijos

Aloisio Trobinski disse...

Não conhecia este poema, Tuca. Muito bom!

Abraço

Frederica disse...

Incrível esse poema do Lorca!

Beijo

Americo Gentil disse...

Acho os poemas surrealistas o melhor da obra do Lorca.

Abraço