terça-feira, 24 de maio de 2011

18 pelos 18 da Raíssa!



Nossa querida e talentosa amiga e blogueira Raíssa Medeiros (na foto acima, pousada) fez 18 anos ontem. Para comemorar (atrasado!) a data, o desinformação seletiva convidou 18 escritores: o andarilho Seu Juca Sem Fio, que nos apresentou a Raissa, e 17 escritores blogueiros – entre eles, Ana Jácomo (voando, à direita). Os textos são ilustrados por fotos de Raíssa, acompanhadas pela foto do perfil do respectivo autor. Tim-tim, Sra. Raíssa, convidados e leitores! . . (Anga, Elza, Teopha e Tuca)

Transformação

Ana Jácomo

anajacomo.blogspot.com

Indagada, na entrevista, sobre aprendizados do tempo do casulo, a borboleta silenciou, movimentou as asas delicadamente, olhou para a margarida que acabara de abraçar, e sorriu. Contemplativa, revisitou na memória a atmosfera de alguns sentimentos que a pergunta lhe fez acessar. Findo o passeio, respondeu à repórter:

– Houve um momento em que o aperto foi tão extremo e aflitivo que eu imaginei não conseguir suportar. Eu nem sabia que, exatamente naquele ponto, a natureza tecia asas para mim, em silêncio, mas foi lá que senti que eu era feita também para voar. O aperto, entendi somente depois, era uma espécie de morte, um prenúncio da transformação, uma ponte que me levaria a outro modo de ser.

“É uma satisfação participar dessa homenagem. Toda felicidade para a Raíssa, que possa e saiba desembrulhar belos presentes ao longo do caminho.”Ana Jácomo

.


O Coração maior que o Mundo

António Cabrita

raposasasul.blogspot.com

Ter aos 18 anos o coração maior que o mundo, diz o meu amigo de 19, é
uma “dramatulugia do caraças”, e os trens enamoram-se dos girassóis e
o silêncio apresenta-se dopado na linha de partida. Foi aos 18 que o
Plutarco afirmou ter visto uma lebre que mudava de sexo em plena
corrida. Há que dar passos maior que a perna e evitar que o coração
fique entalado no quarto – que pelo menos tenha tantas teclas como o
piano onde a Alice escondia os burriés. O resto é fado, mas nesta
dramatulugia quem não se estampa fica espampanante. É uma ulugia do
caraças, ainda que quem não raíssa não saiba.





Oficina

Bípede Falante

bipedefalante.blogspot.com

Desenrola os panos e os contornos para desvendar labirintos. Desenrola devagar, girando os punhos e as pulseiras como quem dá corda em relógios, provando da textura e da essência de cada segundo. Desenrola os ponteiros. Desenrola as horas. E, de cada uma, retira o anti-horário de acarinhar memórias. Depois levanta, salta, rodopia. Vai brincar de grão, calendário e aço, confundir as datas e as bússolas de quem se permite uma existência de abalar palavras.




Metamorfose apoteótica

O ritual de passagem do Livro dos Recém-Vivos

Jenny Paulla

jennypaulla.blogspot.com

. . . . . . . .Vista o eu com um punhal

. . . . . . . .E rasgue o caminho pela floresta sombria

. . . . . . . .Deixe-se levar pelos sons que tilintam de vasilhas penduradas em arames

. . . . . . . .Distantes

. . . . . . . .Feche os olhos Respire

. . . . . . . .Abra com calma o grande livro

.

. . . . . . . .Não tente lembrar todas as línguas que aprendeu na torre dos céus

. . . . . . . .Agora criará sua língua santa Imutável e despida de glorificações

. . . . . . . .Fará o ritual dos 18

. . . . . . . .E se embriagará com borboletas furta-cores, desenhos surrealistas e fractais

. . . . . . . .Afundará os pés descalços na terra molhada e sentirá a pulsação

. . . . . . . .Que floresce e emana das profundezas

.

. . . . . . . .Corra até perder todas as forças e chore pela dor que lateja

. . . . . . . .Anistia de todos os jazigos carregados

. . . . . . . .Largue-se

. . . . . . . .Completamente crua

. . . . . . . .Calmamente suculenta

. . . . . . . .Metamorficamente sua






poema de sedução para descaminho e descarrilo

Assis Freitas

mileumpoemas.blogspot.com

. . . . . . . . . . . . . . . . supostamente já tive idades mais queridas

. . . . . . . . . . . . . . . . em que sorriam verdes os lábios meus

. . . . . . . . . . . . . . . . o mundo era feito de alvíssaras

. . . . . . . . . . . . . . . . e eu nem tinha coração para imaginar


. . . . . . . . . . . . . . . . a sedução de tantos erros

. . . . . . . . . . . . . . . . na insólita passagem dos anos



O restante vem já, já, pessoal. Ah, esse blogsputo tá acabando com a minha vira-latíssima raça! (Tuca)

7 comentários:

Lily disse...

Que passeio fiz agora... um sonho este post! Só poderia ser assim um presente para uma menina moça mulher aos 18 anos, tão delicado nas entrelinhas, mas forte no impacto e nas imagens, também nos conselhos... tão sutis, tão perfumados, lisonjeiros.

Estou aqui, parada, em silêncio, deixando passar as letras pelos poros da alma, saboreando-me com as imagens e com o carinho da turma dos quatro: Anga, Elza, Teopha e Tuca.

Parece um quarto decorado, aquela manta única, bordada... o primeiro dia feliz no calendário que, de tão belo, se torna eterno.

Parabéns, moça! Fico aqui pensando no tanto que tu és especial, só pessoas especiais merecem carinho semelhante e ganham!

Parabéns ao quarteto!

Suzana/LILY

Eraldo Paulino disse...

Ah, eu sempre quis ter um blog assim rsrs

Sai olho-gordo, né?

Cara, esse blog figura entre os prediletos entre meus prediletos!

Abraços e beijos e congratulações!

Bípede Falante disse...

Tuca, está ficando incrível o seu presente clube 18. Mas o seu computador não está mesmo ajudando que nada do restante chegar!
Parabéns a essa garota inspiradora :)
beijos para os dois.
beijos para todos!
BF

Carla Diacov disse...

Tuquita,
Tua tessitura de língua me põe em polvoroso desalinho de horas...
inda essas cousas...
Bão demais passar por aqui!
Beijim.

Ri disse...

Amei cada detalhe. É o presente mais delicado e charmoso que chegou a mim nesses longos 18 anos. Bateu uma emoçãozinha...Uma saudade... Vontade de viver tudo de novo, com 18 anos. De comemorar a mesma idade pra sempre. Pareceu tão injusto fazer mais anos. É lindo, lindo! Levou-me para sonhos meus que já não lembrava. Flutuei sobre tudo que é passado. Quando acordei da viagem, algumas gotinhas já tinham me escapado pelos olhos. Os textos são encantadores. É pra guardar pra sempre na minha vida. Como tenho o Seu Juca, figura eterna, de importância incomparável!

Agradeço pelo presente incrível!
Espero retribuir com o mesmo nível de lindeza num aniversário próximo!

Ri disse...

Ah.. A embalagem também é de total graciosidade! Arrasou em tudo! Tô super metidinha mesmo!

Um beijão!

Fernando Tavares disse...

Tens um pequeno desafio no meu blog. :-)
Bjos